Revista Rosa

Volume 9

9

Parkour

João Montanaro

Criado na França
por um campeão de obstáculos
insatisfeito com o exército.
Nada de técnicos com apitos,
mestres enigmáticos,
apenas homens
guepardos saltando vãos.
Eu, a criança crescida
em roteiros de Hong Kong
e amadurecida na década de muay thai,
me tornei um adulto duro,
mas eis que descubro
a uma avenida e meia do trabalho
este ginásio da modalidade
onde um acrobata professor se alonga
esquecido em fones de ouvido.
Simpática recepcionista,
eu venho de sombras agressivas,
de uivantes arquibancadas,
portanto eu te digo:
essa não foi uma aula experimental,
senão uma revelação definitiva
do que eu pretendo fazer
até o rastejar final da minha vida.
Dois meses depois,
quem me vê na rua andando com pressa
acha que estou indo encontrar
a minha namorada.
Afinal o meu corpo é uma grande risada
que mais um dia salta roda desvia escala brinda
com os novos colegas,
mas que desta vez,
esfriadas as glórias,
recebe a flecha louca
seguida de outras flechas,
o sonar agoniante na lombar.
Escolhido o médico menos ortodoxo
e vencida a fase aguda das três hérnias,
ele concorda que eu posso
tentar voltar.
Sentiram a minha falta
menos do que eu senti
a necessidade de estar aqui,
varando caixotes entre servos do ar.
Boa, maravilhosamente boa!
a minha aula de volta
e despedida,
antes que a dor madrasta
me esperando na porta
me leve embora de uma vez por todas.