Revista Rosa

Volume 5

5

O autor intelectual

Meditações selváticas, Frederico Filippi

“Até vale uma observação neste momento: realmente a cavalaria brasileira foi muito incompetente. Competente, sim, foi a cavalaria norte-americana, que dizimou seus índios no passado e hoje em dia não tem esse problema no país.”

— Bolsonaro, em discurso na Câmara dos Deputados, 16 de abril de 1998.


“Mais de 15% do território nacional é demarcado como terra indígena e quilombola. Menos de um milhão de pessoas vivem nestes lugares isolados do Brasil de verdade, exploradas e manipuladas por ONGs. Vamos juntos integrar estes cidadãos e valorizar a todos os brasileiros.”

— Bolsonaro no Twitter, 2 de janeiro de 2019.


“O interesse na Amazônia não é no índio nem na porra da árvore, é no minério.”

— Bolsonaro, em discurso a garimpeiros feito em frente ao Palácio da Alvorada, 1 de outubro de 2019.


“Cada vez mais, o índio é um ser humano igual a nós.”

— Bolsonaro em live de 23 de janeiro de 2020.


“O grande passo depende do parlamento, vão sofrer pressão dos ambientalistas. Esse pessoal do meio ambiente. Se um dia eu puder, eu confino-os na Amazônia, já que eles gostam tanto do meio ambiente, e deixem de atrapalhar os amazônidas aqui de dentro das áreas urbanas.”

— Bolsonaro, ao propor projeto que legaliza garimpo em terras indígenas, 5 de fevereiro de 2020.


“Ambientalista de paletó e gravata, uísque, carpete e vendo televisão a noite toda. E também, né, fumando um cigarrinho a noite toda, também. Esse pessoal é que é ambientalista. Alguns vivem de recursos de ONGs de fora do Brasil para, exatamente, inviabilizar o progresso da região.”

— Bolsonaro em declaração a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, 6 de fevereiro de 2020.


“Vocês sabem que ONG não tem vez comigo, não é? Boto pra quebrar com esse pessoal. Não consigo matar esse câncer chamado ONG.”

— Bolsonaro, em live de 3 de setembro de 2020.


“A reserva yanomami. Tem mais ou menos 10 mil índios. O tamanho é duas vezes o Estado do Rio de Janeiro. Justifica isso? Lá é uma das terras com o subsolo mais rico do mundo. Ninguém vai demarcar terra com subsolo pobre. Agora o que o mundo vê na Amazônia, floresta? Está de olho no que está debaixo da terra”.

— Bolsonaro, novembro de 2020.


“Nosso governo demarcou uma só terra de reserva indígena? Demarcou um só quilombola? Ampliou algum parque nacional? Criou uma área de proteção ambiental?”

— Bolsonaro, se gabando do fato de que a resposta é negativa para as quatro perguntas, em discurso feito em evento de distribuição de terras em São Paulo, outubro de 2021.


“Não é ameaça, é uma realidade. Só nos restam duas alternativas: pegar a chave da presidência, me dirigir ao presidente do Supremo e falar: ‘administra o Brasil’. Ou, a outra alternativa: não vou cumprir.”

— Bolsonaro, em discurso realizado em culto evangélico em Goiânia, sobre o julgamento do marco temporal pelo STF, 27 de maio de 2022.


“Realmente, duas pessoas apenas num barco, numa região daquela completamente selvagem é uma aventura que não é recomendada que se faça. Tudo pode acontecer.”

— Bolsonaro, sobre o desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Philips, em entrevista ao SBT, 7 de junho de 2022.


“Esse inglês era mal visto na região porque fazia muita matéria contra os garimpeiros, questão ambiental, então, naquela região lá, que é bastante isolada, muita gente não gostava dele.”

— Bolsonaro sobre o jornalista inglês Dom Philips, em entrevista à jornalista Leda Nagle, em 15 de junho de 2022.