3

Colaboradores

Acauam Oliveira

É doutor em letras pela USP e professor adjunto da Universidade de Pernambuco.

Adelita Ahmad

É artista visual.

Adriano Rampazzo

É artista gráfico e cozinheiro. Tenta conciliar os dois universos em seu trabalho. Faz parte do coletivo o miolo frito de artes gráficas e quadrinhos. Seu portfolio pode ser visto em www.adrianorampazzo.com.

Affonso Uchôa

É diretor de cinema, conhecido por Sete anos em maio (2019), Arábia (2017) e A vizinhança do tigre (2016).

Alain Lipietz

É economista, ex-deputado francês no Parlamento Europeu pelo Partido Verde

Alberto Acosta

É economista e professor universitário. Foi ministro de Energia e Minas (2007) do Equador e presidente da Assembleia Constituinte (2007–2008).

Alessandra Bergamaschi

É formada em comunicação pela Universidade de Bolonha, doutora em história social da cultura pela PUC-Rio com uma pesquisa sobre as virtualidades introduzidas pelas mediações da imagem técnica na pintura modernista norte-americana. Atualmente é pesquisadora em história, crítica e teoria da arte na ECA-USP. A sua pesquisa compreende também uma prática na produção de imagens, vídeos e desenhos, e a programação de três edições de uma mostra itinerante de vídeos no cinema.

Alexandre Benoit

É arquiteto, doutor pela FAU-USP e professor na Escola da Cidade.

Ana Cristina Joaquim

É formada em letras e filosofia (Universidade de São Paulo, 2008; Universidade São Judas Tadeu, 2007), é mestre em história da filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (2011), doutora em literatura portuguesa pela Universidade de São Paulo (2016 com estágio na Universidade Nova de Lisboa, 2013), e atualmente desenvolve um projeto de pós-doutorado no Departamento de Teoria Literária da Universidade Estadual de Campinas (2018-atual, Fapesp: 2017/17843-1; com estágio na Universidade do Porto, 2019, Fapesp/Bepe: 2018/21750-1).

André Vallias

É poeta, designer gráfico, produtor de mídia interativa e tradutor brasileiro.

Andrea Ganuza

Vive entre Pamplona e Medellín. Seu trabalho gira em torno da exploração dos limites da autobiografia nos quadrinhos e seu uso como ferramenta de liberação e aprendizado, produz posters de agitação e participa de um par de projetos editoriais, de fanzines a festivais de edição independente.

Annina Klappert

É pesquisadora e professora de estudos literários, tendo trabalhado em universidades na Alemanha e nos Estados Unidos. É doutora pela Universidade de Bonn e tem pós-doutorado pela Universidade de Erfurt.

Arthur Hussne

Formado em história pela USP, graduando em direito na mesma instituição. Professor de filosofia e sociologia.

Augusto de Campos

É poeta e tradutor. Um dos fundadores do Movimento Concretista na poesia.

Beatriz Bracher

É formada em letras, foi uma das editoras da revista de literatura e filosofia 34 Letras, entre 1988 e 1991, e uma das fundadoras da Editora 34, onde trabalhou de 1992 a 2000. Em 2002 publicou, pela editora 7 Letras, Azul e dura, seu primeiro romance (reeditado pela Editora 34 em 2010), seguido de Não falei (2004), Antônio (2007), os livros de contos Meu amor (2009) e Garimpo (2013), e o romance Anatomia do Paraíso (2015), todos pela Editora 34. Escreveu com Sérgio Bianchi o argumento do filme Cronicamente inviável (2000) e o roteiro do longa-metragem Os inquilinos (2009), prêmio de melhor roteiro no Festival do Rio 2009. Com Karim Aïnouz escreveu o roteiro de seu filme O abismo prateado (2011). Anatomia do Paraíso foi consagrado com o Prêmio São Paulo de Literatura — melhor romance de 2015 e Prêmio Rio de Literatura — melhor obra publicada — ficção — 2015. Garimpo venceu o Prêmio APCA na categoria Contos/Crônicas em 2013 e recebeu menção honrosa no Prêmio Casa de las Américas, de Cuba, em 2015. Antônio foi publicado no Uruguai (Montevidéu, Yaugurú), na Alemanha (Berlim, Assoziation A), nos Estados Unidos (Nova York, New Directions) e na Itália (Milão, Utopia Editore). Não falei também foi publicado pela New Directions (Estados Unidos) e pela Assoziation A (Alemanha).

Beatriz Toledo

É artista visual e tenta fazer outras coisas. Formada pela ECA/USP, tem mestrado de Fotografia e Arte Contemporânea na Université Paris 8 na França. Beatriz trabalha na direção de espaços artísticos como La Maudite/Paris e Tormenta/Medellin. Em seu trabalho, se encontram pedras, caminhadas, cartografia, representação científica de objetos e uma pesquisa sobre relações hierárquicas.

Ben Fine

É professor emérito de economia na Escola de Estudos Africanos e Orientais (Soas) da Universidade de Londres e professor visitante na Escola de Governo de Wits, da Universidade de Witwatersrand, na África do Sul. Publicou trezentos artigos e trinta livros, sendo agraciado com os prêmios Deutcher e Myrdal. É também diretor da Iniciativa Internacional para a Promoção da Economia Política (iippe.org).

Bernardo Carvalho

É jornalista e escritor. É autor, dentre outros, de Nove noites (2002) e Simpatia pelo demônio (2016), ambos pela Companhia das Letras.

Birgit M. Kaiser

É professora associada de literatura comparada e estética transcultural na Universidade de Utrecht. É autora de diversos livros e uma das fundadoras da rede de pesquisa Terra Critica.

Bruno Vieira Amaral

Trabalha como escritor, editor, crítico literário e tradutor. Em 2018, seu romance Hoje estarás comigo no paraíso (Quetzal, 2017) recebeu o segundo lugar no Prêmio Oceanos.

Caetano Veloso

É um dos mais importantes músicos da música popular brasileira. Há até quem o considere internacionalmente um dos melhores compositores do século XX, sendo comparado a nomes como Bob Dylan, Bob Marley, John Lennon e Paul McCartney. Ele próprio não se considera à altura nem dos colegas citados nem dos seus compatriotas Milton Nascimento, Gilberto Gil ou Djavan, entre outros — sem falar em Tom Jobim.

Carla Rodrigues

Professora de ética no Departamento de Filosofia da UFRJ, pesquisadora do programa de pós-graduação em filosofia no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFSC/UFRJ) e bolsista de produtividade da Faperj. Estuda teorias feministas, notadamente a partir da obra de Judith Butler, conjugando questões de gênero com formulações críticas à violência colonial e suas atualizações no neocolonialismo. É coordenadora do Laboratório Filosofias do Tempo do Agora (Lafita/CNPQ), onde estão articuladas rede de pesquisadores/as em torno de temas da filosofia política contemporânea.

Carlos Gallo

É rapper, compositor e produtor. É integrante do grupo Costa a Cosa (2002-2010). É vencedor do prêmio Hutuz MTV em 2002 e 20109. Lançou vários singles entre 2011 e 2015.

Caupolicán Ovalles (1936–2001)

Foi um poeta polêmico da literatura venezuelana. Ele pertenceu ao período de vanguarda dos anos 60 e interessou-se pelo surrealismo francês e pelos beatniks americanos. Participou ativamente de vários grupos literários e artísticos como o movimento vanguardista e iconoclasta El Techo de la Ballena, Sol Cuello y Cortado, La Pandilla de Lautréamont, que marcou a literatura venezuelana nos turbulentos anos sessenta, e o movimento boêmio La República del Este nos anos setenta. Entre suas obras poéticas, figuram: ¿Duerme usted señor presidente? (1962), Elegía a la muerte de Guatimocín, mi padre, alias El Globo (1967), Copa de huesos, Profanaciones (1972) e Sexto Sentido u Diario de Praga (1973). Em 1973 recebe o Prêmio Nacional de Literatura.

Carole Pateman

É professora emérita de ciência política da Universidade da Califórnia, Los Angeles.

César Mortari Barreira

É doutor em teoria e filosofia do direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Pesquisador do Laboratório de Estudos Interdisciplinares Crítica e Capitalismo (Leicc-Uerj). Coordenador científico do Instituto Norberto Bobbio — Cultura, Democracia e Direitos Humanos. Seu último livro (em coautoria com Raymundo Magliano Filho) é Capitalismo, catolicismo e neopentecostalismo (Labrador, 2020).

Cícero Araújo

Professor titular de teoria política do Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas — FFLCH-USP.

Clube

Clube (São Paulo, 2019) é um escritório de arquitetura, fundado por Gabriel Biselli (Botucatu, 1993) e Luiz Solano (São Paulo, 1995), que estabelece uma prática entre a produção e a discussão da disciplina. Clube foi selecionado em concursos de arquitetura e design, como Outros Territórios (Belo Horizonte, MG) e Sinal dos Tempos — Ocupação do Espaço Vitrine do Museu Paranaense (Curitiba, PR), e já organizou uma série de palestras, exposições e oficinas com arquitetos do Brasil e do exterior, como Matteo Ghidoni (Salottobuono e San Rocco Magazine), Davide Sacconi (Campo), Abdelkader Damani (Frac Centre-Val de Loire), Facundo Fernandez (Flora Oficina), Sabine Kastner, Luca Marullo e Stefano Colombo (Parasite 2.0), entre outros. Clube teve projetos e textos publicados em edições impressas, como a Carte Blanche n. 6 (Paris), Unlearning Public Spaces — Täglich Trendbook (Stuttgart), Acces for All — São Paulo’s Architectural Infrastructures (Zurique), Revue Fantome #3 (Paris), O Turvo (São Paulo), entre outros. Clube participou de exposições, como O grande susto (São Paulo, 2019) com a curadoria de Guilherme Teixeira e Cinema nervi (Firenzi, 2021), com curadoria de Parasite 2.0, Manifattura Tabacchi e NAM — Not a Museum. Gabriel Biselli é professor assistente da disciplina História, teoria e crítica da arte I, na Escola da Cidade desde 2019 e mestrando no departamento de História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo da FAU-USP. Luiz Solano foi professor assistente da disciplina eletiva Museu é um espaço grave!, na Escola da Cidade, em 2020.

Daniel Kondo

Iniciou sua carreira de ilustrador na publicidade. Atualmente ilustra a coluna Últimas Palavras do jornal O Estado de S.Paulo. Em 2009, participou da Flipzona para apresentar seu trabalho sobre tecnologias digitais na produção do livro Surfando na marquise (Editora Cosac Naify). Foi finalista do Prêmio Jabuti na categoria ilustração com os livros Minhas contas e Surfando na marquise.

Daniel Scandurra

É músico e artista visual. Para conhecer outros trabalhos que fez a partir de Augusto de Campos, visitar o site https://internet.hotglue.me/au9ust0.

David Escobar Parra

Artista plástico pela Fundación Universitaria Bellas Artes, Medellín (2017); com estudos em arquitetura e produção de cinema e televisão. Co-fundador de Lengua Negra e Sombra, Medellín (2019 até hoje), espaços para residências focados no encontro e na discussão de temas contemporâneos a partir das práticas artísticas. Seu trabalho busca um fio condutor através da leitura atenta de arquivos em relação aos acontecimentos do mundo, fazendo associações que saltam entre duas ou mais imagens e/ou a partir de diálogos os caminhos para trabalhar entre os climas políticos e tensões ideológicas. Participou de algumas da exposições mais relevantes na Colômbia além de mostrar suas obras internacionalmente, especialmente na América Latina, onde tem investigado a complexidade das relações entre poesia e política no século XX e seus desenvolvimentos na construção de narrativas no presente.

Débora Bolsoni

É artista plástica, costumava mostrar seus trabalhos no espaço físico.

Débora Tavares

É mestre e doutora em literatura pela Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), onde pesquisou a obra de George Orwell e sua relação com a história. Atua como professora, oferecendo cursos livres sobre literatura, sociedade (@livre_literatura). Autora de ensaios nessa área, entre eles o posfácio “A esperança vem do plural” da edição de 1984 publicado pela editora Antofágica.

Eduardo Jorge de Oliveira

É doutor em teoria literária e literatura comparada (UFMG) e professor de literatura, cultura e media (Universidade de Zurique).

Eliane Brum

É jornalista, escritora e documentarista. Publicou sete livros no Brasil — seis de não ficção e um romance —, além de participar de coletâneas de crônicas, contos e ensaios. Em 2019, publicou seu primeiro livro de reportagens em inglês, pelas editoras Graywolf, nos Estados Unidos, e Granta, no Reino Unido. The Collector of Leftover Souls foi também traduzido para o italiano e para o polonês. Assina a direção e codireção de quatro documentários. O primeiro deles, Uma história severina, foi reconhecido por dezessete prêmios nacionais e internacionais. Por sua atuação como jornalista, Eliane recebeu mais de quarenta prêmios e distinções ao longo de mais de trinta anos de trajetória profissional. É colunista do jornal espanhol El País e colaboradora do britânico The Guardian, além de vários jornais e revistas europeias.

Eliane Robert Moraes

É professora de Literatura Brasileira na USP, bolsista do CNPQ e pesquisadora sabático do IEA-USP. Organizou a Antologia da poesia erótica brasileira (Ateliê) e publicou diversos ensaios sobre o imaginário erótico na literatura entre os quais: Sade — A felicidade libertina , O corpo impossível e Perversos, amantes e outros trágicos (Iluminuras).

Éric Fassin

É professor de sociologia na Université Paris-VIII.

Fabiano Calixto

É poeta, editor e professor. Doutor em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela Universidade de São Paulo (USP). Publicou os seguintes livros de poesia: Algum (edição do autor, 1998), Fábrica (Alpharrabio Edições, 2000), Música possível (Cosac Naify/7 Letras, 2006), Sanguínea (Editora 34, 2007), A canção do vendedor de pipocas (7Letras, 2013), Equatorial (Tinta-da-China, 2014), Nominata morfina (Corsário-Satã, 2014) e Fliperama (Corsário-Satã, 2020). Dirige, com a poeta e editora Natália Agra, a editora Corsário-Satã.

Fernando Haddad

É membro do PT, professor na Universidade de São Paulo e no Insper, ex-ministro da educação e ex-prefeito de São Paulo.

Fábio Pitta

É professor assistente do Departamento de Geografia da USP e coordenador de projetos e pesquisador da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos.

Gabriela Rosa

É doutoranda na Universidade de São Paulo (Departamento de Ciência Política) e pesquisadora da Fapesp.

George Orwell (1903–1950)

É o pseudônimo de Eric Arthur Blair. Foi escritor, jornalista e ensaísta político inglês. É autor de, dentre outros, 1984 e Animal Farm.

Gonzalo Aguilar

É professor catedrático de literatura brasileira e portuguesa na Universidade de Buenos Aires e pesquisador do Consejo Nacional de Investigaciones Científicas e Técnicas (Conicet). Dirige a cadeira de literaturas da América Latina da Universidade Nacional de San Martin e foi professor visitante em Stanford, Harvard e Universidade de São Paulo. É autor, entre outros, dos livros A poesia concreta: as vanguardas na encruzilhada modernista (Edusp, 2005), Otros mundos — Un ensayo sobre el nuevo cine argentino (2006, traduzido para o inglês), Por una ciencia del vestigio errático — Ensayos sobre la antropofagia de Oswald de Andrade (2010) e Más allá del Pueblo — Imágenes y políticas del cine (2015).

Gregory Claeys

É professor emérito da Universidade de Londres e autor de Dystopia: A Natural History (Oxford University Press, 2017).

Guga Szabzon

É artista e educadora, formada em artes plásticas pela Faap e em licenciatura pela FPA.

Guilherme Gontijo Flores

É poeta, escritor, tradutor e professor de Língua e Literatura Latina na UFPR, coeditor do blog e revista escamandro e membro fundador do Grupo Pecora Loca, dedicado à poesia antiga em tradução.

Guilherme Leite Gonçalves

É professor de sociologia do direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e pesquisador-bolsista do CNPQ. Foi professor visitante em várias universidades alemãs (FU Berlin, Bremen, Friedrich-Schiller Jena e Kassel). É também coordenador do Laboratório de Estudos Interdisciplinares Crítica e Capitalismo (Leicc-Uerj). Seu último livro (em coautoria com Sérgio Costa) é Um porto no capitalismo global (Boitempo, 2020).

Gustavo Galo

É compositor. Gravou quatro discos (Asa, 2014; Sol, 2016; Se tudo ruir deixa entrar o ruído, 2019; Quarto, 2020). Atualmente, ao lado de Júlia Rocha, faz parte da É Selo de Língua.

Hernán Ouviña

É cientista político, educador popular e doutor em ciências sociais pela Universidade de Buenos Aires. Professor do curso de ciência política e professor do Instituto de Estudios de América Latina y el Caribe (UBA). Coordenador de oficinas de formação política junto a movimentos sociais e sindicatos de base na Argentina e América Latina. É autor e editor de diversos livros sobre o pensamento crítico e a realidade latino-americana, entre eles Zapatismo para principiantes, Estados en disputa e Rosa Luxemburgo y la reinvención de la política. Una lectura desde América Latina.

Ignacio Cano

É doutor em sociologia, com especialidade em psicologia social, pela Universidade Complutense de Madrid. Trabalhou em direitos humanos e atenção a populações em áreas de guerra em El Salvador de 1991 a 1993, como pesquisador da Universidade Centroamericana e como membro da Comisión de la Verdad de las Naciones Unidas para El Salvador. Também participou em projetos de pesquisa sobre direitos humanos em relação à Guatemala e a outros países da região. Fez pós-doutorado nas Universidades de Surrey (RU), de Michigan e do Arizona (EUA), baseado em avaliação de programas sociais e análise de dados entre 1994 e 1996. Em 2008 fez pós-doutorado na Lancaster University (RU) sobre estatística espacial aplicada a dados criminais. Desde 1996, trabalha no Brasil na área de violência, segurança pública e direitos humanos e na área de educação. Foi pesquisador do Instituto de Estudos da Religião entre 1996 e 2001 e professor visitante na Universidade Federal Fluminense e na Universidade Federal de Juiz de Fora. Desde 2000, integra a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde é professor titular de sociologia. Foi fundador e coordenador do Laboratório de Análise da Violência (LAV), da mesma universidade. Nos últimos anos trabalhou como pesquisador, consultor e avaliador de numerosos projetos de segurança pública e direitos humanos no Brasil e em diversos países da América Latina.

Isa Lima Mendes

É doutora e mestre em relações internacionais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e graduada em ciência política pela University of Houston, Texas. Trabalha no Núcleo de Estudos Interdisciplinares Ibero-Americanos da PUC-Rio, onde desenvolve seus interesses de pesquisa em política latino-americana, resolução e transformação de conflitos, teoria democrática e movimentos sociais.

Isabella C. Reiche

É artista visual.

Jacqueline Pitanguy

É socióloga. Fundadora e coordenadora executiva da Cepia — Cidadania Estudos, Pesquisa, Informação, Ação. Integra as organizações Inter American Dialogue (IAD), Women Learning Partnership (WLP), o conselho editorial da Revista Health and Human Rights do Center Xavier Bagnoud da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard. Ocupou a cátedra Laurie New Jersey Chair in Women’s Studies na Universidade de Rutgers, USA, e foi presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM) durante a Constituinte quando recebeu a condecoração do Ministério de Relações Exteriores da Ordem de Rio Branco, no grau de comendador.

Jairo Gerbase

É psiquiatra, psicanalista, membro do Campo Psicanalítico e do Campo Lacaniano, autor de O homem tem um corpo (Associação Científica Campo Psicanalítico, 2020) e diversas publicações em psicanálise.

Jane Bennett

É cientista política e titular da cátedra Andrew W. Mellon Professor of the Humanities na Universidade Johns Hopkins. Autora de diversos livros, fundou o periódico Theory & Event.

João Paulo Cuenca

É escritor e cineasta. Seu romance Descobri que estava morto (Tusquets, 2016) recebeu o Prêmio Literário Biblioteca Nacional e foi finalista do Jabuti.

John Cajas-Guijarro

É economista e professor da Universidad Central del Ecuador.

Jorge Sallum

É editor e fundador da editora Hedra. Formado em história na Universidade de São Paulo, fez também fez mestrado no Departamento de Letras Clássicas, tendo como objeto de pesquisa textos retóricos platônicos ligados ao círculo filosófico de Proclo. Foi militante do Partido Comunista Brasileiro no final dos anos oitenta, quando iniciou seus estudos em russo. Traduziu com Tatiana Larkina o poema O que é bom, o que é ruim (2012), de Maiakóvski.

José António Sestelo

É doutor em saúde coletiva pela UFRJ, pesquisador do GPDES/UFRJ e autor do livro Planos de saúde e dominância financeira (Edufba, 2018).

Julia de Souza

É poeta, autora de Covil e As durações da casa.

Júlia Rocha

Pesquisa e trabalha a partir da dança, performance e escrita. Cursa mestrado em poéticas visuais na USP. Formou-se em comunicação das artes do corpo na PUC-SP. Desde 2014 cuida da É Selo de Língua, onde edita com Gustavo Galo.

Juliana Caffé

Dedica-se à curadoria, pesquisa e gestão cultural em artes visuais. Integrou a equipe da Associação Cultural Videobrasil entre 2013 e 2017, onde trabalhou na programação das exposições e demais atividades do Galpão VB. Atualmente é mestranda pelo Programa de Pós-Graduação Interunidades em Estética e História da Arte da Universidade de São Paulo.

Juliana Fausto

É doutora em filosofia pela PUC-RJ (2017) e autora de A cosmopolítica dos animais (N-1 edições, 2020).

Katrin Pahl

É professora titular de alemão na universidade Johns Hopkins, onde também co-dirige o programa de Women, Gender and Sexuality. Seu livro mais recente é Sex Changes with Kleist (Evanston, IL: Northwestern University Press, 2019).

Kristina Birke

Dirige o laboratório da Fundación Friedrich Ebert (FES) na Colombia.

Lawrence Ferlinghetti (1919–2021)

Foi poeta, editor e pintor americano da Geração Beat.

Lena Lavinas

Professora titular do Instituto de Economia da UFRJ. Dedica-se ao estudo das políticas sociais em meio às transformações do capitalismo contemporâneo, em particular a ascensão da grande finança. É membro de vários comitês editoriais e é pesquisadora associada de centros de pesquisa na Alemanha e Argentina. Atualmente é membro da Escola de Ciência Social do Instituto de Estudos Avançados (IAS) de Princeton.

Leonardo Lucena Trevas

Doutorando em teoria e história literária no IEL-Unicamp, mestre em estudos linguísticos e literários em inglês pela FFLCH-USP e graduado em comunicação social pela Universidade Católica de Pernambuco. Estuda a obra de George Orwell desde 2010, com ênfase no pensamento político do escritor e as relações entre ideologia, história e literatura. Também é músico e cantor na Dune Hill.

Lucas Figueiredo Silveira

É graduando em letras pela USP. Teve textos publicados no Brasil e em Portugal. Traduz do francês e do catalão.

Lucas Torigoe

É coordenador de projetos pelo Museu da Pessoa e mestre em história social pela Universidade de São Paulo.

Manuel Antônio Dias Bandeira

Criador de imagens no entrecruzamento das artes visuais com a literatura, estreia como ilustrador nesta edição da Rosa.

Marc Saint-Upéry

É um jornalista, editor e tradutor francês residente em Quito, Equador. Autor de El sueño de Bolívar. El desafio de las izquierdas sudamericanas (Paidós, Barcelona, 2008).

Marcela Vieira

Formada em letras pela USP, fez mestrado em tradução na Universidade Paris 8. É tradutora, ex-editora da Revista Fevereiro e cofundadora e curadora do site de arte aarea. Atualmente faz doutorado em cotutela entre a USP e a Paris 8 e estuda a importância da tradução da obra de Marquês de Sade no século XXI.

Marcelo Coelho

Mestre em sociologia pela FFLCH-USP e articulista da Folha de S. Paulo. Escreveu, entre outros, Crítica cultural: teoria e prática (Publifolha), Montaigne (Publifollha), Patópolis (Iluminuras) e Jantando com Melvin (Iluminuras).

Marcelo Noah

É doutorando no Departamento de Romance Studies na Universidade de Duke, nos Estados Unidos. Em Porto Alegre, apresentou programas sobre literatura e cultura na Rádio da Universidade e Ipanema FM, além de dirigir a Rádio Minima.fm.

Marcelo Zoppi

É poeta. Publicou o Triângulo preto invertido em 2013. Terminou o O, em 2017. Prepara o livro Legalize necrofilia, o qual tem escrito enquanto prepara programas da Rádio Acúfeno, com amigos. Foi vocalista da banda Shirley.

Marco Noregna

É artista visual colombiana com ampla prática em desenho e quadrinhos.

María Fernanda Valdés

É economista, mestre em desenvolvimento pelo Instituto de Estudios Sociales (Holanda) e doutora em economia pela Universidad Libre de Berlín. Atualmente atua como coordenadora de projetos na Fundación Friedrich Ebert (FES) na Colombia e como coordenadora do projeto Tributación para la Equidad da FES na América Latina.

Maria Luisa Mendonça

É doutora em geografia humana pela USP, pesquisadora visitante no Center for Place, Culture and Politics — CUNY Graduate Center, diretora da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos e autora do livro Economia política do agronegócio, Editora Annablume, 2018.

Mariana Par

É mestranda em linguagens visuais no PPGAV UFRJ. Graduou-se em artes visuais pela UFRJ, cursou por três anos letras e tem ampla experiência no circuito de publicações. Frequentou também cursos em diferentes espaços e escolas livres. Possui forte ligação à palavra. Tensionando os limites entre o público e o privado, entre o eu e o outro, a artista problematiza questões relativas aos territórios da casa e da rua ligados à urbanidade.

Mariana Portela Echeverri

É uma artista luso-colombiana. Em sua produção, interessa-se pela sexualidade, pela pós-pornografia e contextos ficcionais. Sua prática envolve escultura, instalação, obras sonoras, escrita, desenho e engenhocas mecânicas, que exploram separadamente e em conjunto os domínios do desejo, prazer e violência. Atualmente vive e trabalha em Medellín, Colômbia. Seus trabalhos podem ser vistos em www.mecheverri.com.

Mariana Ruggieri

É escritora e tradutora, pós-doutoranda no Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp.

Marilá Dardot

É artista visual e mestre em artes visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Vive e trabalha na Cidade do México.

Marina Bedran

É professora de literatura e cultura lusófona no Departamento de Línguas Modernas e Literatura da Johns Hopkins University, doutora em espanhol e português pela Princeton University e mestre em teoria literária e literatura comparada pela USP.

Marina Silva

É professora, ambientalista e política brasileira. Formada em história, tem especialização em psicopedagogia e teoria psicanalítica. É doutora honoris causa pela Universidade Federal da Bahia e pela Academia Chinesa de Silvicultura. Em quase trinta anos de vida pública, ganhou reconhecimento dentro e fora do país pela defesa ao meio ambiente, das comunidades tradicionais e pelo desenvolvimento sustentável com justiça socioambiental. Recebeu dezenas de títulos e prêmios nacionais e internacionais, como o Prêmio Goldman, a Medalha Duque de Edinburgh do WWF e a mais alta condecoração ambiental das Nações Unidas, o prêmio Champions of the Earth da ONU. Foi escolhida como a mulher do ano pelo Financial Times Magazine em 2004 e figurou em 2008 na lista do jornal britânico The Guardian entre as 50 pessoas que podem salvar o planeta. Em sua trajetória, foi vereadora, deputada estadual e senadora e foi também ministra do meio ambiente. Como ministra, liderou a criação do Plano de Combate ao Desmatamento da Amazônia, que reduziu as taxas de desmatamento em 80%, além de criar 25 milhões de hectares de áreas naturais protegidas. Disputou as eleições presidenciais de 2010, 2014 e 2018. É fundadora e porta-voz do partido Rede Sustentabilidade e atua também como professora associada da Fundação Dom Cabral.

Marjorie Perloff

É professora emérita de inglês na Universidade de Stanford, autora, dentre outros, do livro Unoriginal Genius: Poetry by Other Means in the New Century (University of Chicago Press, 2010).

Matheus Cardoso da Silva

É doutor em história social pela USP. Autor da tese As cartas de Londres: George Orwell nas redes intelectuais entre Londres e Nova York, 1941–1946 (2015).

Matheus Ichimaru

Bacharel em física e em filosofia pela Universidade de São Paulo e doutorando em ética e filosofia política pela mesma instituição.

Maura Grimaldi

É artista e pesquisadora do programa de doutoramento da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e é mestre em artes visuais pela Universidade de São Paulo. Abordando assuntos relacionados à fantasmagoria, ao invisível, às tecnologias obsoletas e aos dispositivos que nos remetem a experiências imersivas e contemplativas

Milton Hatoum

Estudou arquitetura na USP e estreou na ficção com Relato de um certo Oriente (1989), vencedor do prêmio Jabuti de melhor romance. Seu segundo romance, Dois irmãos, de 2000, foi traduzido para doze idiomas e adaptado para televisão, teatro e quadrinhos. Com Cinzas do Norte (2005), Hatoum ganhou os prêmios Jabuti, Livro do Ano, Bravo!, APCA e Portugal Telecom. Em 2008, sua primeira novela, Órfãos do Eldorado, foi adaptada para o cinema, e em 2013 ele reuniu suas crônicas em Um solitário à espreita. É colunista dos jornais O Estado de São Paulo e O Globo.

Mário Augusto D’Antonio Pires

É formado em direito e em filosofia pela USP, mestre em filosofia e teoria geral do direito pela mesma instituição. Advogado criminalista em São Paulo.

Nancy Perloff

É musicóloga, historiadora de arte e curadora de arte contemporânea do Getty Research Institute (GRI).

Nathalia Silva Carneiro

É doutoranda do Departamento de Ciência Política da Universidade de São Paulo na área de teoria política, instituição pela qual também é mestra. Em seu mestrado, realizou uma consideração anticolonial do pensamento de Hannah Arendt. Atualmente, continua a pesquisar a relação entre racialidade e política. É membra da Coletiva Gira, grupo de estudos e de intervenção antirracista e anticolonial. É também membra da Frente Pró-cotas de Pós-graduação da USP.

Natália Agra

É poeta e editora. Publicou os livros de poesia De repente a chuva (Corsário-Satã, 2017), fotogramas [o silêncio possível] (7 Letras, 2019) e Noite de São João (Corsário-Satã, 2020), publicado também em Portugal pela editora Douda Correria. Publicou o livro infantil Os balões de Nise (iogram, 2019). É uma das organizadoras da Desvairada — Feira de Poesia de São Paulo.

Negin Moghadardoost

Nasceu em 1993 no Irã. Mora em Tehran. É designer gráfica e roteirista.

Negro Leo

É artista maranhense radicado no Rio de Janeiro e atualmente residente em São Paulo. Com onze discos lançados desde 2012, tem tocado em palcos prestigiados no mundo, como Cafe Oto (Londres), Counterflows Festival (Glasgow), Festival Nrmal (CDMX), Virada Cultural Paulista (SP), Aniversário da Cidade de São Paulo (SP), Festival Novas Frequências (RJ), entre outros. Seu disco Niños Heroes rendeu importantes críticas internacionais de Ben Ratliff (The New York Times) e Noah Berlatsky (Playboy Magazine). Seu disco Coisado foi patrocinado por importantes instituições alemãs no âmbito da cultura, Haus Der Kulturen Der Welt, Forberg Schnider e Goethe Institut. Seu disco Action Lekking o levou à Holanda pro festival Le Guess Who?. Esteve na China (Pequim e Xangai) para uma residência artística, integrando o projeto China Tropical, ao lado de Ava Rocha, em 2019.

Nicolau Gayão

É mestrando em sociologia pelo DS-FFLCH-USP e membro da Gira (Grupo Interdisciplinar de Raça e Política), pesquisa vida e obra de Frantz Fanon, morte e violência.

Nicolás Llano

Doutor em ciências da comunicação (Universidade de São Paulo). Atuou como pesquisador internacional na Universidade de Copenhagen (Dinamarca, 2014–2015) e participou do curso Code Societies na School for Poetic Computation (New York, 2018). Autor de 5-5 (Salvaje, Bogotá), incluído como parte do componente editorial do 44º Salão Nacional de Artistas (Pereira, Colômbia). É um dos editores do livro Antropologia & comunicação (Indo, 2014). Colabora com diferentes publicações artísticas e culturais: ExtraExtra (Holanda), Letras Libres (México), Matera (Colômbia).

Nuno Ramos

Se formou em filosofia pela Universidade de São Paulo em 1982. Artista plástico e escritor, participou de diversas exposições individuais e coletivas, incluindo a Bienal de Veneza de 1995 e a 29ª Bienal Internacional de São Paulo em 2010. Podemos encontrar em sua produção gravuras, pinturas, fotografias, instalações, vídeos e canções. É autor de diversos livros, que perpassam a filosofia, o ensaio, a poesia e o teatro. Seu livro Ó foi vencedor do prêmio Portugal Telecom de Literatura em 2009.

Oswaldo Terreros

É presidente vitalício do Movimiento GRSB (Gráfica Revolucionaria para Simpatizantes Burgueses). É artista, publicitário e desenhista.

Pablo Stefanoni

Es historiador y autor de ¿La rebeldía se volvió de derecha?

Patrícia Lino

É poeta e professora auxiliar de literaturas e cinema luso-brasileiros na Ucla. É autora de O kit de sobrevivência do descobridor português no mundo anticolonial (Macondo, 2020), Não é isto um livro (Ediciones Vestigio, 2020) e Manoel de Barros e a poesia cínica (Relicário, 2019). Dirigiu Anticorpo. Uma paródia do Império Risível (EUA 2019; Brasil 2020) e Vibrant Hands (2019). Lançou também o álbum de poesia mixada I Who Cannot Sing (Gralha Edições, 2020). Apresentou, publicou e expôs ensaios, poemas e ilustrações em mais de seis países. Foi uma das poetas portuguesas convidadas a participar na Feria del Libro de Bogotá e na Fiesta del Libro y la Cultura de 2020. A sua investigação centra-se na poesia contemporânea, culturas visual e audiovisual, paródia, anticolonialismo e cinema brasileiro. É membro integrado do Ucla Latin American Institute e colaboradora do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa.

Patrícia Mourão de Andrade

É doutora em cinema pela Universidade de São Paulo, com bolsa sanduíche na Columbia University, com tese sobre autobiografia no cinema experimental. Atualmente desenvolve pesquisa de pós-doutorado no departamento de artes visuais da Universidade de São Paulo sobre o papel do cinema no pensamento de Robert Smithson. Programou retrospectivas dedicadas a cineastas como Andrea Tonacci, Jonas Mekas, Harun Farocki e Naomi Kawase. Organizou, entre outros, os livros Cinema estrutural (coorganização de Theo Duarte, Caixa Cultural, 2015); Jonas Mekas (Cinusp, 2013), David Perlov: epifanias do cotidiano (coorganização de Ilana Feldman, CCJ, 2011), Harun Farocki: por uma politização do olhar (Cinemateca Brasileira, 2010), O cinema de Pedro Costa (coorganização de Daniel Ribeiro, CCBB, 2010). Também atua como professora e já lecionou no IMS, Masp, MAM-SP e Instituto Tomie Ohtake. Foi produtora do filme Já visto jamais visto (2013), de Andrea Tonacci, e coordenou o projeto de recuperação de parte do acervo do cineasta.

Patricia Zandonade

É doutora no Programa de Pós-Graduação em Energia — Ambiente e Sociedade da Universidade Federal do ABC, desenvolvendo pesquisa com a temática da mobilidade urbana e desigualdade na utilização energética nas metrópoles. Possui graduação em arquitetura e urbanismo pela Universidade Estadual de Londrina (1999) e mestrado em arquitetura e urbanismo pela Universidade de São Paulo (2005). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal da Integração Latino-Americana. Tem experiência na área de projeto urbanístico e de habitação, projeto da paisagem, planejamento urbano, com ênfase na temática da urbanização e meio ambiente.

Patrick Iber

É historiador na Universidade de Wisconsin, autor de Neither Peace nor Freedom: The Cultural Cold War in Latin America e membro do conselho editorial da Dissent.

Paulo Sérgio Pinheiro

É presidente da Comissão Independente Internacional de Investigação sobre a República Árabe Síria da ONU, em Genebra, desde 2011. Professor titular de ciência política (aposentado) e pesquisador do Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP. Membro da Comissão Arns. Foi também membro da Comissão Nacional da Verdade e ministro da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Governo FHC.

Paulo Victor Ferrari Nakano

É formado em direito e em letras pela USP, é auditor-fiscal do município de São Paulo.

Pedro Ambra

É psicanalista, professor de psicologia da PUC-SP, doutor pela USP e pela Université Paris VII.

Pedro Cipis

É ilustrador, artista visual e designer gráfico. Arquiteto e urbanista graduado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP).

Pedro Zylbersztajn

É artista e pesquisador, e investiga a relação circular entre linguagem, protocolos de manutenção do cotidiano, tecnologia e autoridade. Entre suas atividades, destacam-se as individuais Como se eu fosse o fotógrafo: Carlos Amadeu Gouvêa, 1971 na Casamata (RJ, 2016) e Brickwork na Americas Society (NY, 2018), a 12ª Bienal de Arquitetura de São Paulo, a conferência Édouard Glissant’s Tout-Monde (CUNY, NY), e as coletivas Trembling Thinking (Americas Society, NY) e L’intolerable ligne droite (Art & Essai, França). É mestre pelo Programa em Arte, Cultura e Tecnologia do MIT (EUA).

Rafael RG

É artista e escritor. Formou-se em artes visuais pela Universidade de Belas Artes de São Paulo.

Raquel Campos

É professora e pesquisadora. Mestra e doutora em letras pela UNB. Foi visiting assistant in research em Yale University, EUA, entre junho e novembro de 2017. Atualmente desenvolve pesquisa de pós-doutorado na Ufscar.

Renata Pedrosa

É doutora (2013) e mestre (2004) em poéticas visuais pela ECA-USP, com pós-doutorado (2019) pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP-São Carlos. É artista visual e desenvolve trabalhos em diversos meios que incluem objetos, ambientes, instalações, intervenções, desenhos e vídeos.

Ricardo Abramovay

É professor sênior do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo. Fez sua carreira acadêmica no Departamento de Economia da FEA, onde tornou-se professor titular em 2001. É autor de Amazônia. Por uma Economia do Conhecimento da Natureza (Ed. Elefante), Paradigmas do Capitalismo Agrário em Questão (Edusp), Muito Além da Economia Verde (Planeta Sustentável) e Lixo Zero: Gestão de Resíduos Sólidos para uma Sociedade mais Próspera (publicado em português e espanhol). Sua pesquisa atual concentra-se em bioeconomia e Amazônia. www.ricardoabramovay.com

Roberta Guimarães

É professora adjunta do Departamento de Antropologia Cultural do IFSC/UFRJ. Autora do livro A utopia da Pequena África. Projetos urbanísticos, patrimônios e conflitos na Zona Portuária carioca (FGV, 2014). Pesquisa sobre simbolismos, materialidades, relações de poder e práticas estatais. Atualmente é bolsista Jovem Cientista do Nosso Estado da Faperj.

Roberta Soromenho Nicolete

É professora adjunta no Departamento de Ciência Política da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e pesquisadora-convidada na École des Hautes Études en Sciences Sociales (CESPRA/EHESS).

Ruy Fausto (1935–2020)

Professor emérito da USP (filosofia), doutor de estado pela Universidade de Paris I e ex-maître-de conférences da Universidade de Paris 8, é autor de vários livros de filosofia e de política, em português e em francês, entre os quais Sentido da dialética (Marx: Lógica e Política), (3 vols: Brasiliense, 1983, 1987; ed. 34, 2002: reed. Vozes, vol I, 2015), e Caminhos da esquerda, elementos para uma reconstrução, Companhia das Letras, 2017.

Roberta Soromenho Nicoleti

É pós-doutoranda na Universidade de São Paulo (Departamento de Filosofia) e pesquisadora-convidada na École des Hautes Études en Sciences Sociales (Cespra/Ehess).

Steven Forti

É professor associado em história contemporânea na Universidade Autônoma de Barcelona e pesquisador do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa.

Suely Aires

É psicanalista, professora do Instituto de Psicologia (Ufba), doutora em filosofia (Unicamp), membro do Colégio de Psicanálise da Bahia e do Centro de Pesquisa Outrarte: Psicanálise Entre Ciência e Arte (Unicamp).

Tarso de Melo

É poeta, autor dos livros Íntimo desabrigo (2017) e Rastros (2019), entre outros. É também advogado e professor, doutor em filosofia do direito e atualmente pesquisador em pós-doutorado na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

Theo Williams

É lecturer do Departamento de História da Universidade Durham. Especialista em história britânica no século XX.

Thiago Aguiar

É graduando em jornalismo pela Universidade de São Paulo (USP). Foi pesquisador do Monitor do Debate Político no Meio Digital, também da USP. Já trabalhou no Estadão e na Agência Lupa.

Tom Vieira

É artista visual e também trabalha em produção no audiovisual e no teatro como iluminador. Atualmente vive em Barcelona.

Veronica Stigger

É escritora, curadora, crítica de arte e professora da Faap. É autora de seis livros de ficção, dentre eles Opisanie swiata (Cosac Naify, 2013), vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura, e Sul (Editora 34, 2016), vencedor do Jabuti.

Victor Galdino

É bacharel, mestre e doutor em filosofia pela UFRJ e formado no Corpo Freudiano da Escola de Psicanálise. Integrante do Laboratório Filosofias do Tempo do Agora (Lafita/CNPQ/UFRJ).

Wallace V. Masuko

É artista e doutorando em artes visuais pela Universidade de São Paulo. Traduziu a Caixa verde, de Marcel Duchamp. Designer da Revista Rosa.

Yaku Heredia

É ativista e defensor social graduado na Jatun Yachay Wasy, fotógrafo documentalista e director do Hanan Pacha, centro de investigação cultural e de desenvolvimento social e comunitário.