2

Colaboradores

Fumaça antifascista é de todos nós, uma espécie de entidade que procura fazer frente ao avanço fascista no Brasil. Inspirada nas manifestações de força e júbilo das torcidas de futebol e nascida do desejo de amplificar os corpos na luta contra a política de morte e destruição que nos assalta.

Adriano Rampazzo

É artista gráfico e cozinheiro. Tenta conciliar os dois universos em seu trabalho. Faz parte do coletivo o miolo frito de artes gráficas e quadrinhos. Seu portfolio pode ser visto em www.adrianorampazzo.com.

Alyne Costa

É doutora em filosofia pela PUC-Rio, com pesquisa sobre Antropoceno e o colapso ecológico. Faz pós-doutorado no Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ e é professora do quadro complementar do Departamento de Filosofia na PUC-Rio.

Ana Paula Simonaci

É curadora, escritora, editora e pesquisadora, doutoranda em memória social pelo PPGMS-UNIRIO. Diretora da editora Revistas de Cultura, publica coleções de livros sobre cultura brasileira no Brasil, Portugal e EUA. Foi analista técnica na Gerência de Cultura do Sesc Rio de Janeiro, onde realizou a curadoria da programação de literatura e idealizou projetos diversos.

Benjamin Lemoine

É pesquisador do CNRS no Institut de Recherche Interdisciplinaire en Sciences Sociales e atualmente membro do Institute for Advanced Study de Princeton.

Bernardo Glogowski

É artista plástico, formado pela ECA-USP. Explora temas ligados à memória traumática e imagens de circulação efêmera. Participou da 1ª turma do Treinamento em Jornalismo Cultural no jornal Folha de S. Paulo. Participou de exposições como Até aqui tudo bem na galeria White Cube de São Paulo, em 2015 e, em 2019, de Open Studio//Recent works no coletivo Prenzlauer Studio/Kunst-Kollektiv em Berlin, onde viveu e trabalhou por sete anos, antes de retornar a São Paulo.

Bruno Latour

É filósofo, antropólogo e sociólogo francês, com reconhecida atuação no campo de pesquisa conhecido como estudos da ciência e tecnologia (Science and Technology Studies). Foi professor do Centre de Sociologie de l’Innovation da École des Mines de Paris (1982–2006) e diretor científico do laboratório de mídia da Science-Po Paris (2006–2017), onde hoje é professor emérito. Autor de mais de 20 livros sobre filosofia, sociologia e antropologia das ciências, tem se dedicado mais recentemente à ecologia política, tema no qual se destacam suas obras Diante de Gaia e Onde aterrar?. É também curador de diversas exposições artísticas de sucesso e recebeu em 2013 o prêmio Holberg do governo holandês.

Cícero Portella

É mestre em arquitetura e urbanismo. Escreve, desenha e pesquisa estética. Contato: instagram.com/cc3r.

Clara Barzaghi

É doutoranda em Arquitetura e Urbanismo na Unicamp. Pesquisa violência, urbanismo e arte na América Latina.

Débora Bolsoni

É artista plástica, costumava mostrar seus trabalhos no espaço físico.

Elsa Dorlin

É professora de filosofia política e social na Universidade de Paris 8. É especialista em história do sexismo e do racismo moderno. Seus temas de trabalho são influenciados pelo black feminism estado-unidense e por uma perspectiva descolonial.

Fernando Silva e Silva

Pesquisador da Associação de Pesquisas e Práticas em Humanidades.

Gabriela Arguedas Ramírez

É farmacêutica, bioeticista e doutoranda em Estudos de Sociedade e Cultura. Ela é especialista em direitos humanos e foi consultora do Instituto Interamericano de Derechos Humanos. Atualmente é professora da Escuela de Filosofía e pesquisadora do Centro de Investigación en Estudios de la Mujer da Universidade da Costa Rica, onde é diretora do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mulher dessa universidade.

Izadora Xavier do Monte

É politóloga de formação e profissão e redatora do webzine militante e queer friction magazine. Escreve poesia desde antes de existirem blogs e às vezes performa na station — gare des mines em Paris, onde viveu de 2012 a 2020. Publicou na internet nas revistas escamandro e Raimundo, e em duas coletâneas a serem publicadas em breve: A chama depende do combustível e Dreams under confinement.

Lucas Figueiredo Silveira

É graduando em Letras pela USP. Teve textos publicados no Brasil e em Portugal. Traduz do francês e do catalão.

Marcelo Coelho

Mestre em Sociologia pela FFLCH-USP e articulista da Folha de S. Paulo. Escreveu, entre outros, Crítica Cultural: Teoria e Prática (Publifolha), Montaigne (Publifollha), Patópolis (Iluminuras) e Jantando com Melvin (Iluminuras).

Mariana Portela Echeverri

É uma artista luso-colombiana. Em sua produção, interessa-se pela sexualidade, pela pós-pornografia e contextos ficcionais. Sua prática envolve escultura, instalação, obras sonoras, escrita, desenho e engenhocas mecânicas, que exploram separadamente e em conjunto os domínios do desejo, prazer e violência. Atualmente vive e trabalha em Medellín, Colômbia. Seus trabalhos podem ser vistos em www.mecheverri.com.

Mariana Serri

É artista plástica e educadora. Cursou Educação Artística na FAAP e Letras na FFLCH/USP. Produz ilustrações para diversas mídias e, como artista, realizou exposições individuais e participou de diversas exposições coletivas. Como educadora, realizou a Supervisão da Área de Educação do IMS Paulista e IMS Poços, além da Coordenação da Mediação da 32ª e 29ª Bienal de São Paulo e a Coordenação do Atendimento ao Público do Instituto Tomie Ohtake. Atualmente trabalha em seu ateliê, no Museu da Casa Brasileira e atua como professora especialista de Artes no Colégio Ítaca. Tanto como artista quanto como educadora, tem a presença como cerne de sua pesquisa.

Maria-Mercè Marçal (1952–1998)

Foi uma poeta catalã muito ativa como militante política, feminista e defensora das causas queer sem seu país. Além e poeta, foi também jornalista, editora, tradutora e professora.

Quentin Deforge

É pesquisador com pós doutorado no Centro Alexandre Koyré da EHESS de Paris.

Ricardo Bielschowsky

É economista, PhD, professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É especialista em desenvolvimento e em pensamento econômico latino-americano e brasileiro. É autor, coautor ou organizador de mais de 60 publicações, entre os quais 20 livros, como por exemplo O pensamento Econômico Brasileiro (1930–64) — o ciclo ideológico do desenvolvimentismo, Investimento e reformas no Brasil na década de 1990 e Cinquenta anos de pensamento da Cepal.

Ricardo Viveiros

Jornalista e escritor, é autor de 49 livros em diferentes gêneros, doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP), da Academia Paulista de Educação (APE), da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) e da União Brasileira de Escritores (UBE).

Silvia Ramos

É cientista social e coordenadora da Rede de Observatórios de Segurança Pública do CESeC.

Sofia Azevedo

É graduanda de História pela USP.

Sonia Correa

Pesquisadora da ABIA (Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids) e coordenadora do Observatório de Sexualidade e Política.

Tatiana Roque

É professora da UFRJ e coordena o Fórum de Ciência e Cultura dessa universidade.

Tom Vieira

É artista visual e também trabalha em produção no audiovisual e no teatro como iluminador. Atualmente vive em Barcelona.

Vítor Queiroz de Medeiros

Cientista social e mestrando em sociologia (USP), ativista de direitos humanos.